A Prefeitura de Chapada de Areia, decretou nesta quinta-feira (19) situação de emergência em saúde pública devido à pandemia do novo coronavírus, agente causador da doença Covid-19. O ato segue o decreto estadual anunciado ontem (18).

Com a medida, estão suspensos no município, por tempo indeterminado, eventos com aglomeração de pessoas e as aulas na rede pública municipal.

Em Chapada de Areia não há casos confirmados ou suspeitos de infecção pelo novo coronavírus. No Tocantins, segundo o último boletim da Secretaria de Estado da Saúde (SES), 28 pacientes seguem acompanhados nos municípios de Palmas, Porto Nacional, Paraíso do Tocantins e Araguaína. Na capital, uma mulher testou positivo e está em isolamento domiciliar.

Em coletiva, o gestor da SES, Dr. Edgar Tollini, esclareceu as informações referentes ao primeiro caso confirmado no estado. A paciente, de 42 anos, apresentou sintomas brandos e realizou o exame em rede privada. Após resultado positivo, o laboratório notificou a equipe de Vigilância em Saúde do Município que então notificou o Estado, responsável por repassar a informação ao Ministério da Saúde.

Novo coronavírus

O novo coronavírus recebeu o nome de Sars-CoV-2. Ele é um agente viral novo, de uma família já conhecida, que sofreu alterações em sua estrutura e agora adquiriu a capacidade de infectar seres humanos. O Sars-CoV-2 age causando a doença denominada Covid-19, que provoca desde uma síndrome respiratória simples, como um resfriado, até uma grave, como pneumonia, exceto nos casos assintomáticos, quando o portador ainda é transmissor do vírus, mas não apresenta nenhum de seus sintomas.

Inicialmente, os primeiros casos foram identificados na região da China e, pelas suas características de transmissibilidade, se espalhou pelo mundo. Na última quarta-feira, 11, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que a rápida proliferação do novo coronavírus pelo mundo já se configura como uma pandemia.

Muito ainda se pesquisa para melhor compreensão do novo vírus, entretanto estima-se um período de dois a 14 dias de encubação. Assim, é possível identificar a contração do vírus em pacientes que respeitem os critérios de definição para suspeita do novo coronavírus: episódios de tosse ou falta de ar, combinados com febre, histórico de presença em região onde há circulação do agente viral pelos últimos 14 dias ou contato com outros pacientes com diagnóstico confirmado. Estes casos serão incluídos no protocolo de enfrentamento.

Internação de pacientes

Os cuidados com idosos devem ser reforçados, uma vez que é um público mais suscetível à uma atuação mais aguda dos sintomas do novo vírus. Os pacientes que oferecem maior risco estão na faixa etária acima dos 60 anos, bem como aqueles que apresentam comorbidades, ou seja, a associação de mais doenças, como Diabetes.

Nos casos em que os sintomas se apresentarem mais brandos, a recomendação será a recuperação e o isolamento domiciliar, uma vez que o quadro se assemelha à uma gripe comum, no entanto, quando os sintomas se apresentam de forma aguda, causando dificuldades na respiração, como uma crise de asma, o uso de ventiladores mecânicos para auxiliar na respiração do paciente se torna imprescindível.

Assim, para esses casos que necessitarem de acompanhamento hospitalar, o Estado preparou 14 leitos isolados na unidade de internação e outros três na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Geral de Palmas (HGP).

Vacina contra gripe

A vacina contra a gripe também é recomendada e a Campanha Nacional de Vacinação terá início no dia 23 de março, quando idosos e profissionais de saúde terão prioridade para se vacinarem. A vacina contra a influenza garante proteção para três tipos de vírus (H1N1, H3N2 e Influenza B). Mesmo que a vacina não apresente eficácia contra o coronavírus, é uma forma de prevenção para outros vírus, ajudando a reduzir a demanda de pacientes com sintomas respiratórios e acelerarem o diagnóstico para o novo coronavírus.

Viajantes

Para pessoas que fizeram viagens internacionais é indicado o isolamento domiciliar voluntário por sete dias, a partir da data de desembarque no Brasil. Caso apresente febre e tosse ou dificuldade para respirar é necessário procurar um posto de saúde. Há ainda o telefone 136, em caso de dúvidas.

Medidas de prevenção

Para evitar a proliferação do vírus, o Ministério da Saúde recomenda medidas básicas de higiene, como lavar bem as mãos (dedos, unhas, punho, palma e dorso) com água e sabão, e, de preferência, utilizar toalhas de papel para secá-las. Além do sabão, outro produto indicado para higienizar as mãos é o álcool gel, que também serve para limpar objetos como telefones, teclados, cadeiras, maçanetas, etc.

Para a limpeza doméstica recomenda-se a utilização dos produtos usuais, dando preferência para o uso da água sanitária (em uma solução de uma parte de água sanitária para 9 partes de água) para desinfetar superfícies. Utilizar lenço descartável para higiene nasal é outra medida de prevenção importante.

* Com informações da SES-TO.

Deve-se cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo. Também é necessário evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas. Além disso, as máscaras faciais descartáveis devem ser utilizadas por profissionais da saúde, cuidadores de idosos, mães que estão amamentando e pessoas diagnosticadas com covid-19.

Sem comentários ainda.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos com (*) são obrigatórios.